Salomão, Kaiuca & Abrahão

Último expositor alerta sobre falta de limites para a participação estatal
Supremo Tribunal Federal
 
 
18/03/2014

width=180Último expositor a se manifestar na audiência pública que discutiu no STF aspectos da nova Lei de Direitos Autorais (Lei 12.853/2013), o músico e compositor José de Araújo Novaes Neto – Juca Novaes – também é advogado especializado em direito autoral e representante, no Brasil, de dois órgãos internacionais de defesa dos autores, o Conselho Internacional de Autores e Música e a Aliança Latinoamericana de Autores.

Juca Novaes é também diretor da Abramus (Associação Brasileira de Música e Artes), uma das entidades que questionam a constitucionalidade da nova lei no Supremo Tribunal Federal (STF). Ele reconheceu que a nova lei traz avanços para os autores, especialmente no que diz respeito à transparência e à democratização das sociedades e do Ecad, mas existe outro lado sobre o qual é preciso fazer um alerta. Ele se referiu ao tipo de participação do Estado.

Novaes reconhece que há em outros países uma supervisão estatal no setor, mas a nova lei brasileira vai ao extremo de exigir das entidades gestoras de direitos autorais a senha de acesso aos seus arquivos, medida que causa “absoluta estupefação” quando apresentada fora do Brasil, segundo relatou na audiência pública. Em sua opinião, controle e supervisão não podem ser confundidos com intervenção direta.

VP/EH

URL: http://www.stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=262640

 
« Voltar
 
Salomão, Kaiuca & Abrahão - Sociedade de Advogados
Rua São José, 70 - 4º andar - Centro - Rio de Janeiro / RJ
+ 55 21 3212-6400
contato@skaadv.com.br
Termos de uso
Política de Privacidade
Webmail