Salomão, Kaiuca & Abrahão

Auditora do TCU aponta distorção na destinação de recursos públicos na saúde
Supremo Tribunal Federal
 
 
27/05/2014

src=http://www.stf.jus.br/arquivo/cms/bancoImagemFotoAudiencia/bancoImagemFotoAudiencia_AP_267652.jpgRepresentando a Associação Nacional dos Auditores de Controle Externo dos Tribunais de Contas do Brasil (ANTC), Lucieni Pereira, auditora de controle externo do Tribunal de Contas da União (TCU), apresentou dados sobre a saúde no Brasil e trouxe trabalhos do TCU que entendem haver desvio de finalidade no uso de recursos do Sistema Único de Saúde (SUS) no atendimento privado.

A auditora aponta casos de “dupla porta” de acesso ao SUS, constatando privilégios a alguns pacientes em detrimento de outros. A presença do atendimento diferenciado distorce a alocação dos recursos públicos, diz Lucieni, sustentada em dados relativos ao atendimento em determinados hospitais da rede pública. A auditora cita ainda depoimentos revelando a preferência conferida, no SUS, aos pacientes conveniados a planos privados. “Nosso estágio civilizatório é de uma sociedade patrimonialista e clientelista em que o próprio poder público aporta mais dinheiro onde se tem clientes privados tendo acesso privilegiado”, afirma.

“Há dupla porta de entrada, com faturamento diferenciado e comprovado. Em termos práticos, percebemos essa mistura em caminhos em que não cabe esse cruzamento”, diz a auditora, sustentando que a diferença de classe viola o princípio da universalidade pela via dos processos administrativos, jurídicos e institucionais.

FT/EH
 

URL: http://www.stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=267658

 
« Voltar
 
Salomão, Kaiuca & Abrahão - Sociedade de Advogados
Rua São José, 70 - 4º andar - Centro - Rio de Janeiro / RJ
+ 55 21 3212-6400
contato@skaadv.com.br
Termos de uso
Política de Privacidade
Webmail